Brasil emprende un fuerte rearme militar

Publicado en 'Actualidad Mundial' por comunista, 7 Abr 2012.





  1. xarakato

    xarakato Miembro legendario YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    5 Ene 2009
    Mensajes:
    53,880
    Likes:
    27,182
    Temas:
    1,272




    No,con Brasil no tenemos problemas.Somos buenos vecinos por el momento.
     
    A TorredeMarfil le gustó este mensaje.


  2. golito

    golito Miembro maestro YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    3 Abr 2010
    Mensajes:
    544
    Likes:
    213
    Temas:
    2
    todo esta modernizacion y futuras adquisiciones de material belico por parte de brasil se debe aque Brasil como ya una economia fuerte y ya ocupando el septimo lugar como economia es necesaria adquirir estos juguetitos para asi des esta forma tener voz y voto en el consejo de seguridad de la onu donde brasil pretende ser miembro permanente. y tambien por la franja petrolifera descubierta frente asus costas que son una delas mas grandes reservas petroliferas del planeta y que brasil piensa explotar con petrobras y por eso quieren echar ala chevron de su pais,por como es sabido desde que se descubrieron esas reservas los yankes activaron su flota del atlantico sur que a Brasil no le cayo nada bien y protesto y como no tiene tanto peso no le hicieron caso por eso ellos postulan como miembros permanentes en la onu para hacerse respetar y ser potencia mundial
     
  3. andrecampoverde

    andrecampoverde Suspendido YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    4 Feb 2012
    Mensajes:
    9,274
    Likes:
    6,908
    Temas:
    24
    Le veo futuro a Brasil. Tiene buena industria, potencial, recursos y es enorme... En poco tendremos una potencia militar mundial como vecino.
     
  4. Lothar

    Lothar Miembro de oro YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    24 Mar 2010
    Mensajes:
    8,584
    Likes:
    10,668
    Temas:
    61
    Riesgos:
    http://www.cnnexpansion.com/economia/2012/04/03/la-crisis-cierra-la-economia-brasilena
    http://eleconomista.com.mx/economia-global/2012/03/14/llego-periodo-vacas-flacas-brasil
    Problemas inflacionarios:
    http://www.agenciapacourondo.com.ar...noce-problemas-de-la-economia-brasilena-.html
    Bajo crecimiento de su PBI:
    http://gestion.pe/noticia/1383564/economia-brasil-decepciono-2011
    Recortes presupuestarios:
    http://www.eldia.com.ar/edis/201202...drasticos-recortes-presupuestarios-tapa24.htm
    http://www.cnnexpansion.com/economia/2011/01/15/brasil-presupuesto-economia-recorte-cnn
    Los recortes presupuestarios ya afectan al sector defensa:
    http://defensa.com/index.php?option...a-a-defensa&catid=55:latinoamerica&Itemid=163

    El Fx viene retrasado una década, el Sao Paulo no navega hace tiempo, el submarino nuclear esta atado a lo que salga del Fx por que es una propuesta francesa integral, lo que están construyendo ahora son los scorpene, el Kc 390 pasa por lo mismo solo existe en maquetas, es más muchos componentes serán importados, no esta definido que turbofan los equipará, ni menos los costos reales del proyecto, si no hay mercado es muy difícil ver volando a este bicho, Francia ha ofrecido comprar un lote pero esto está atado a lo que salga del Fx. La pregunta y las dudas saltan a la vista, ¿los ambiciosos planes militares brasileros, tienen financiamiento?
     
  5. andrecampoverde

    andrecampoverde Suspendido YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    4 Feb 2012
    Mensajes:
    9,274
    Likes:
    6,908
    Temas:
    24
    Deberian, una potencia mundial- que es a loo que aspiran- no puede atrasarse militarmente,l y tampoco depender del equipamiento extranjero. Para ellos es necesaria aquella inversion, y de paso nos ayuda, xq hay convenios de defensa cn Brasil para adquisiciones y transferencia tecnologica...
     
    Última edición: 8 Abr 2012
  6. eazb

    eazb Miembro de plata YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    10 Oct 2009
    Mensajes:
    4,517
    Likes:
    1,336
    Temas:
    6
    Si tu no sabies do que habla, no hable. El unico proyecto atrasado es el fx2. El programa del submarino nuclear no es atado ao proyecto fx2 y ya esta en andamiento, asi como los escorpene y el kc 390 y varios otros proyectos. El Sao Paulo no es un proyecto. Veo que estas completamiente por fora del asunto. Te pido que no inventes mas cosas que no existe, pues averigue primero.

    y para que te entere:

    Ação: 123H - CONSTRUÇÃO DE SUBMARINO DE PROPULSÃO NUCLEAR

    Citação:
    Favorecido: EX9312972 - DCN CHERBOURG
    Valor original: USD 50,606,777.81 Valor convertido: R$ 86,416,133.79*
    * Conversão realizada com o valor da moeda DOLAR NORTE AMERICANO no dia da emissão do documento: USD 1,00 = R$ 1.7076

    CONTRIBUI PARA DOTAR A MB DE SUBMARINO COM PROPULSÃO NUCLEAR E PERMITIR AO BRASIL A MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA CAPACIDADE DE CONSTRUÇÃO DESSES MEIOS NAVAIS. (TJDL 002/2008/40000)

    VALOR ATINENTE A PARTE 6.2 DO CONTRATO 40000/2009-011/00, REFERENTE A TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA, CORRESPONDENTE AO EVENTO 6.5 - FASE "A" DO PRIMEIRO ESTUDO DE PROJETO GERAL SSK; COMPLEMENTO DO CURSO DE PROJETO PARA SUBMARINO TÁTICO NUCLEAR; E INSTALAÇÃO NO BRASIL DE TI DE SISTEMA DE PROJETO DETALHADO DASEÇÃO INTERMEDIÁRIA DO SUBMARINO CONVENCIONAL BRASILEIRO. EQUIVALENTE A EURO: 38.859.539,13


    http://www.portaltransparencia.gov.br/d ... 12NE000001

    Ação: 123I - CONSTRUÇÃO DE SUBMARINOS CONVENCIONAIS

    Citação:
    Favorecido: EX9312972 - DCN CHERBOURG
    Valor original: USD 62,186,650.63 Valor convertido: R$ 106,189,924.62*
    * Conversão realizada com o valor da moeda DOLAR NORTE AMERICANO no dia da emissão do documento: USD 1,00 = R$ 1.7076

    CONTRIBUI PARA DOTAR A MB DE NOVOS SUBMARINOS E PERMITIR A MANUTENÇÃO E DESEN-VOLVIMENTO DA CAPACIDADE DE CONSTRUÇÃO DESSES MEIOS NAVAI NO PAÍS. (TJDL 002/2008/40000)

    5 - MUNICOES

    VALOR ATINENTE AO CONTRATO 40000/2009-005/00, REFERENTE A COMPRA E VENDA DEPACOTE DE MATERIAL IMPORTADO, CORRESPONDENTE A PARTE COMPLEMENTAR DO EVENTO 1A.5 - LOTE DE ÍTENS PRINCIPAIS 1.3 PARA O SUBMARINO CONVENCIONAL BRASILEIRO 1EQUIVALENTE A EURO: 47.751.401,85


    http://www.portaltransparencia.gov.br/d ... 12NE000004

    Citação:
    Favorecido: EX9312972 - DCN CHERBOURG
    Valor original: USD 29,541,474.81 Valor convertido: R$ 50,445,022.39*
    * Conversão realizada com o valor da moeda DOLAR NORTE AMERICANO no dia da emissão do documento: USD 1,00 = R$ 1.7076

    CONTRIBUI PARA DOTAR A MB DE NOVOS SUBMARINOS E PERMITIR A MANUTENÇÃO E DESEN-VOLVIMENTO DA CAPACIDADE DE CONSTRUÇÃO DESSES MEIOS NAVAI NO PAÍS. (TJDL 002/2008/40000)

    5 - MUNICOES

    VALOR ATINENTE AO CONTRATO 40000/2009-005/00, REFERENTE A COMPRA E VENDA DEPACOTE DE MATERIAL IMPORTADO, CORRESPONDENTE A PARTE DO EVENTO 1A.6 - LOTE DE ÍTENS PRINCIPAIS 1.4 PARA O SUBMARINO CONVENCIONAL BRASILEIRO 1. EQUIVALENTE A EURO: 22.684.078,02


    http://www.portaltransparencia.gov.br/d ... 12NE000005

    Citação:
    Favorecido: EX9312972 - DCN CHERBOURG
    Valor original: USD 7,218,337.48 Valor convertido: R$ 12,326,033.08*
    * Conversão realizada com o valor da moeda DOLAR NORTE AMERICANO no dia da emissão do documento: USD 1,00 = R$ 1.7076

    CONTRIBUI PARA DOTAR A MB DE NOVOS SUBMARINOS E PERMITIR A MANUTENÇÃO E DESEN-VOLVIMENTO DA CAPACIDADE DE CONSTRUÇÃO DESSES MEIOS NAVAI NO PAÍS. (TJDL 002/2008/40000)

    VALOR ATINENTE A PARTE 6.1 DO CONTRATO 40000/2009-011/00, REFERENTE A TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA, CORRESPONDENTE A PARTE COMPLEMENTAR DO EVENTO 6.5 - ASSISTÊNCIA TÉCNICA E TREINAMENTO DE CONSTRUÇÃO DE P0+17 E P0+23 E ENTREGA PARCIAL DO COS (ESPECIFICAÇÃO DA ORDEM DA CONSTRUÇÃO) EQUIVALENTE A EURO: 5.542.760,87


    http://www.portaltransparencia.gov.br/d ... 12NE000002

    Citação:
    Favorecido: EX9312972 - DCN CHERBOURG
    Valor original: USD 2,034,563.74 Valor convertido: R$ 3,474,221.04*
    * Conversão realizada com o valor da moeda DOLAR NORTE AMERICANO no dia da emissão do documento: USD 1,00 = R$ 1.7076

    CONTRIBUI PARA DOTAR A MB DE NOVOS SUBMARINOS E PERMITIR A MANUTENÇÃO E DESEN-VOLVIMENTO DA CAPACIDADE DE CONSTRUÇÃO DESSES MEIOS NAVAI NO PAÍS. (TJDL 002/2008/40000)

    VALOR ATINENTE A PARTE 6.1 DO CONTRATO 40000/2009-011/00, REFERENTE A TRANSFE-RÊNCIA DE TECNOLOGIA, CORRESPONDENTE A PARTE COMPLEMENTAR DO EVENTO 6.5 - AS-SISTÊNCIA TÉCNICA E TREINAMENTO DE CONSTRUÇÃO DE P0+23 E P0+29 E ENTREGA PAR-CIAL DO COS (ESPECIFICAÇÃO DA ORDEM DA CONSTRUÇÃO). EQUIVALENTE A EURO: 1.562.284,99


    http://www.portaltransparencia.gov.br/d ... 12NE000003

    Ação: 1421 - CONSTRUÇÃO DO PROTÓTIPO DE REATOR NUCLEAR

    Citação:
    Favorecido: 27.816.487/0001-31 - EMPRESA GERENCIAL DE PROJETOS NAVAIS
    Valor: R$ 78,251,436.08

    CONTRATO 42000/2009-046/00, CONFORME CI 113/2012 CONSTRUCAO DO PROTOTIPO DE REATOR NUCLEAR

    PRESTACAO DE SERVICO DE APOIO TECNICO E OPERACIONAL, DE SERVICOS DE APOIO GEENCIAL E LOGISTICI E SERVICO DE ASSESSORIA, CONFORME CONTRATO 42000/2009-046/00


    http://www.portaltransparencia.gov.br/d ... 12NE000723

    Citação:
    Favorecido: 27.816.487/0001-31 - EMPRESA GERENCIAL DE PROJETOS NAVAIS
    Valor: R$ 16,607,980.66

    CONTRATO 42000/2009-046/00, CONFORME CI 105/2012 CONSTRUCAO DO PROTOTIPO DE REATOR NUCLEAR

    PRESTACAO DE SERVICO DE APOIO TECNICO E OPERACIONAL, DE SERVICOS DE APOIO GEENCIAL E LOGISTICI E SERVICO DE ASSESSORIA, CONFORME CONTRATO 42000/2009-046/00


    http://www.portaltransparencia.gov.br/d ... 12NE000677

    Citação:
    Favorecido: 27.816.487/0001-31 - EMPRESA GERENCIAL DE PROJETOS NAVAIS
    Valor: R$ 2,160,583.26

    CONTRATO 42000/2009-046/00, CONFORME CI 113/2012 CONSTRUCAO DO PROTOTIPO DE REATOR NUCLEAR

    PRESTACAO DE SERVICO DE APOIO TECNICO E OPERACIONAL, DE SERVICOS DE APOIO GEENCIAL E LOGISTICI E SERVICO DE ASSESSORIA, CONFORME CONTRATO 42000/2009-046/00


    http://www.portaltransparencia.gov.br/d ... 12NE000722

    Ação: 1421 - CONSTRUÇÃO DO PROTÓTIPO DE REATOR NUCLEAR

    Citação:
    Favorecido: 66.012.014/0001-33 - LGE ELETRONICA LTDA
    Valor: R$ 829,920.92

    CONTRATO 42000/2009-060/03 CONSTRUCAO DO PROTOTIPO DE REATOR NUCLEAR

    EXECUCAO DE OBRA DE ENGENHARIA DE UMA SUBSTACAO (SUB1) DO LABGENE, DISTRIBUIDORA 13,8-0,46KV, COM FORNECIMENTO DE MATERIAIS, SERVICOS DE CONTROLE TECNICOS CONSTRUCAO DO PROTOTIPO DE REATOR NUCLEAR


    http://www.portaltransparencia.gov.br/d ... 12NE000697



    Fonte: Defesa Brasil
     
    A GiulioRudolph le gustó este mensaje.
  7. eazb

    eazb Miembro de plata YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    10 Oct 2009
    Mensajes:
    4,517
    Likes:
    1,336
    Temas:
    6
    Cruzeiro do Sul Online
    Inaugurações em Aramar impulsionam Programa Nuclear
    Simone Sanches
    18/3/2012

    [​IMG]
    Contra-almirante Luciano Pagano Junior


    Impulsionando o Programa Nuclear da Marinha (PNM), o Centro Experimental Amarar (CEA), em Iperó, inaugurou no último mês de fevereiro, a Unidade Produtora de Hexafluoreto de Urânio (Usexa), que consiste em converter o "yellow-cake" (concentrado de urânio) em combustível nuclear (gás UF6) para alimentar os reatores. A prontificação da Usexa estabelece um marco para o país no domínio completo do ciclo do combustível nuclear, a última etapa do processo, que ainda era comprado de prestadores de serviço estrangeiros no caso, a Cameco, que tem sede no leste do Canadá. Também foi inaugurado o Centro de Instrução e Adestramento Nuclear (Ciana), uma espécie de simulador destinado a capacitar operadores do Laboratório de Geração Núcleoelétrica (Labgene) - que deve ser inaugurado em 2014 - e tripulações dos futuros submarinos nucleares brasileiros (SN-BR).

    A cerimônia contou com a presença do ministro da Ciência e Tecnologia, Marco Antônio Raupp, do comandante da Marinha, almirante-de-esquadra, Júlio Soares Pires Ramos e do diretor de Radioproteção e Segurança Nuclear, Ivan Sallati.

    Segundo o contra-almirante Luciano Pagano Junior, a parte inicial da unidade está produzindo a quantidade de material nuclear apenas para a Marinha do Brasil. Porém a Usexa serve também como referência à futura unidade de conversão a cargo das Indústrias Nucleares do Brasil (INB), incluindo-se o licenciamento ambiental e nuclear. "Existe um projeto da INB que pretende usar a nossa tecnologia para fazer uma unidade industrial que possa atender Angra 1 e 2, mas isso é um projeto futuro e eles estão analisando a parte econômica; não existe nenhuma construção sobre isso", comenta.

    Segundo Pagano a segunda parte da unidade, que está em fase de montagem eletromecânica, entrará em funcionamento em dezembro de 2012 e sua operação completa em 2013, gerando 100 empregos diretos. Dimensionada para processar 40 toneladas de hexafluoreto de urânio, a unidade contou com investimentos de US$ 65 milhões, oriundos de recursos da Marinha do Brasil (MB) e do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).


    Tanque de água para testes


    Paralelo ao projeto do domínio da tecnologia nuclear, o CEA poderá no futuro servir de área para a instalação de um Laboratório de Hidrodinâmica (Labhidro), para a realização de projetos na área naval. A informação foi transmitida pelo prefeito da cidade de Iperó, Marco Antônio Vieira de Campos (PSDB), durante evento de aniversário da cidade, e confirmada com exclusividade ao Cruzeiro do Sul, pela Marinha. "Existe uma ideia de se construir um laboratório de hidrodinâmica, que na verdade é um grande tanque com água para testes de navio em escala; você faz ensaios com uma série de instrumentos para ver como aquele corpo se comporta dentro da água, e com isso você tira informações. Isso é chamado de Labhidro e está em concepção", explicou o contra-almirante Luciano Pagano. Segundo ele esses tanques podem medir até 400 metros de comprimentos e Aramar teria espaço para comportar o laboratório. "Para a gente é um projeto embrionário; não temos orçamento, não temos fontes de recursos. Temos um engenheiro que está estudando o assunto, esteve na Coréia para ver similares, mas ainda está na fase de discussão", coloca. "Estamos torcendo para que isso aconteça, é mais um investimento alto para a cidade; estaremos preparando a estrada para um futuro breve", comemora o prefeito.

    [​IMG]


    http://www.mar.mil.br/menu_v/sinopse/2007/sinopse.htm




    Cruzeiro do Sul Online
    Edificações em Iperó seguem cronograma
    18/3/2012

    [​IMG]
    Estão em andamento as construções do Labgene, que compreende o prédio do reator e do combustível


    Os recursos da ordem de R$ 1,040 bilhão liberados pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva num período de oito anos estão sendo aplicados conforme o previsto, informa o contra-almirante. Apesar das chuvas dos primeiros meses do ano algumas obras já foram concluídas, estando em andamento as edificações do Labgene (que compreende o prédio do reator, o prédio do combustível e alguns outros prédios, onde se trabalhará com material radioativo de vários tipos de atividades). Será composto por onze prédios principais, entre eles o Prédio do Reator e o Prédio das Turbinas. "O que está sendo levantado é o prédio da turbina. Na frente será construído o prédio do reator. Estamos aguardando a licença da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN)", comenta Pagano.

    O projeto do Labgene busca o desenvolvimento e a construção de uma planta nuclear de geração de energia elétrica totalmente projetada por brasileiros, inclusive o reator do tipo Reator de Água Pressurizada (PWR), que terá potência de onze megawatts elétricos (MWe), capaz de iluminar uma cidade de vinte mil habitantes. Também é tido como o protótipo em terra do reator do submarino nuclear. "O que estamos fazendo aqui é a parte nuclear que vai ser testada para comprovar e validar o projeto. Sendo assim, se constrói outro reator para ser colocado dentro do submarino. É assim que o mundo inteiro faz, é assim que estamos fazendo", explica Pagano.

    Segundo informações da Marinha em reportagem publicada pelo Cruzeiro do Sul em maio de 2011, as edificações do Labgene são projetadas para resistir a abalos sísmicos equivalentes até o grau 4 na escala Richter, baseando-se nos levantamentos estatísticos relativos à região de Sorocaba. "O ponto onde o prédio está sendo construído é um dos poucos com rocha íntegra e as fundações baseadas em rochas estão melhores preparadas para suportar essas questões", esclarece o contra-almirante da Marinha. Os reatores existentes na central japonesa de Fukushima são do tipo BWR (boiling water reactor), enquanto que o Labgene é do tipo PWR (pressurized water reactor). Em ordem de potência térmica, os reatores japoneses são quinze vezes, no mínimo, maiores do que o Labgene, possuindo também sistemas de segurança diferentes.

    Ainda segundo ele, também havendo necessidade de resfriamento do reator a fonte de água mais próxima é proveniente do rio Ipanema. "Esse reator é destinado a um submarino que tem uma demanda de propulsão de onze MWe. Se fizermos as contas, para resfriá-lo é preciso um volume pequeno de água. Temos o levantamento da vazão ao longo do ano, a única fonte de água em Aramar é o rio, e ele dá conta; não temos, por enquanto, poços artesianos", comenta.


    Padrão internacional


    Como exemplo de episódios que ocorreram recentemente em Fukushima, o contra-almirante acredita que ainda haja um receio natural das pessoas. "A preocupação sempre vai existir, é importante que exista para que possamos estar sempre alerta, mas nós temos um histórico de mais de 25 anos de operação e nunca tivemos problemas. Somos inspecionados pela Agência Internacional de Energia Atômica que faz parte da ONU, pela Comissão de Energia Nuclear, pelo Ibama e Instituto Chico Mendes e a coisa transcorre dentro da normalidade, sobretudo o fato de termos funcionários que são fixados na região e que eu tenho certeza que levam para a casa a informação que trabalhamos dentro dos padrões de segurança internacionais", comenta.


    http://www.mar.mil.br/menu_v/sinopse/2007/sinopse.htm
     
    A GiulioRudolph le gustó este mensaje.
  8. eazb

    eazb Miembro de plata YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    10 Oct 2009
    Mensajes:
    4,517
    Likes:
    1,336
    Temas:
    6
    18/03/2012 | INVESTIMENTOS DA MARINHA
    Submarino nuclear brasileiro começa a ser desenvolvido em julho
    Notícia publicada na edição de 18/03/2012 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 1 do caderno Caderno de Domingo - o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.
    Simone Sanches
    simone.sanches@jcruzeiro.com.br


    [​IMG]
    Duas novas instalações do CEA foram inauguradas recentemente em Aramar: a Unidade Produtora de Hexafluoreto de Urânio (Usexa), um marco para o país no domínio completo do ciclo do combustível nuclear, e o Centro de Instrução e Adestramento Nuclear Aramar (Ciana)


    O projeto básico de engenharia do primeiro submarino nuclear brasileiro começa a ser desenvolvido a partir do dia 9 de julho deste ano, quando o primeiro grupo de engenheiros brasileiros retorna da França. A etapa está inserida no Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub) da Marinha do Brasil (MB), iniciado em setembro de 2011, em Itaguaí, no Rio de Janeiro, com a construção dos submarinos convencionais da classe Scorpène, de tecnologia francesa, passo inicial para a construção do submarino movido à propulsão nuclear.

    Os 26 engenheiros brasileiros permaneceram um ano e meio na França para estudos e o retorno da equipe marca o início da execução do trabalho em solo brasileiro. Um grupo ficará no Rio de Janeiro e outra parte em São Paulo, junto ao Centro Tecnológico da Marinha (CTMSP), para integrar informações referentes ao projeto de propulsão. O programa faz parte do acordo firmado com a França em 2008, no valor de R$ 6,7 bilhões, que prevê a transferência da tecnologia para o Brasil.

    Gerenciado pela coordenadoria-geral do Programa de Desenvolvimento de Submarino com Propulsão Nuclear (Cogesn), o projeto abrange também a construção de um estaleiro, uma base para submarinos, uma unidade fabril para elementos metálicos, a construção de quatro submarinos convencionais, além da construção do primeiro submarino nuclear. O acordo, entretanto, não inclui componentes nucleares, cabendo à Marinha projetar e construir o seu sistema de propulsão nuclear e integrá-lo à plataforma projetada em conjunto com os técnicos franceses.

    Iniciado agora, o projeto de engenharia do submarino terminará em 2015. Em 2016 será iniciada a sua construção em Itaguaí-RJ, com término em 2023, para testes de porto e de mar. Em 2025, o submarino entrará em sua fase operacional. Dessa forma, o país entrará para o seleto clube dos países que dominam a tecnologia da propulsão nuclear. China, Estados Unidos, França, Inglaterra e Rússia já são membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU.

    A reportagem do Cruzeiro do Sul visitou o Centro Experimental Aramar (CEA), em Iperó, em razão da comemoração do aniversário da Sociedade Amigos da Marinha - Soamar Sorocaba, e entrevistou o contra-almirante Luciano Pagano Junior, superintendente do Programa Nuclear do Centro Tecnológico da Marinha (CTMSP), em São Paulo, sobre os avanços do Programa Nuclear da Marinha (PNM), cujo propósito é dominar a tecnologia necessária ao projeto e construção do submarino com propulsão nuclear.

    Alavancando esse processo, duas novas instalações do CEA foram inauguradas recentemente em Aramar: a Unidade Produtora de Hexafluoreto de Urânio (Usexa), um marco para o país no domínio completo do ciclo do combustível nuclear, e o Centro de Instrução e Adestramento Nuclear Aramar (Ciana), uma espécie de simulador destinado a capacitar os operadores do Laboratório de Geração Núcleoelétrica (Labgene) e as tripulações dos futuros submarinos. Planos futuros da Marinha ainda prevêem que o CEA comporte um Laboratório de Hidrodinâmica (Labhidro) para testes e ensaios da indústria naval.

    No próximo mês de maio, a Marinha do Brasil também lança oficialmente em parceria com a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP) a instalação de cursos de engenharia nuclear em Aramar. A assinatura da cessão da área ocorre no dia 16, em São Paulo. Instituição de ensino tem planos futuros de implantar grade curricular também na área naval.


    http://www.cruzeirodosul.inf.br/aces....jsf?id=372768


    07 de março de 2012 - 20h49
    Fábrica de submarinos nucleares


    Avançam obras do estaleiro e da Base Naval onde será construído o primeiro submarino nuclear brasileiro

    [​IMG]

    Uma das obras que não tem tido problemas de cronograma é a construção do Estaleiro e da base naval em Itaguaí – na Baía de Sepetiba, estado do Rio de Janeiro. As instalações abrigarão a construção de quatro submarinos nucleares com transferência de tecnologia francesa.

    Enquanto as atividades de tecnologia e de desenvolvimento do submarino nuclear começaram em 2010, a construção do estaleiro e da base naval foi iniciada em 2011. O estaleiro permitirá a implementação gradual da tecnologia de construção de submarino nuclear no Brasil, começando pela montagem de parte do primeiro submarino Scorpène, que deverá ficar pronto em 2015.

    A Marinha Brasileira ativou a Coordenadoria do Programa de Desenvolvimento de Submarino de Propulsão Nuclear em setembro de 2008. O complexo será parcela de um gigantesco empreendimento de 1,5 milhão de m² levantado pela Companhia Docas na região, o qual reunirá diversos estaleiros. O primeiro submarino será feito, em parte, na França, em Cherbourg – os outros terão seus cascos montados no Brasil, depois de manufaturados na Nuclep. O investimento é da ordem de R$ 5 bilhões. O empreendimento está a cargo da empresa francesa DCNS (Direction des Constructions Navales et Services), e as obras civis estão a cargo da Construtora Norberto Odebrecht, contratada pela empresa francesa. A DCNS dará assistência para o design da parte não-nuclear do submarino, a ser feita pela joint venture, e às obras para construção do estaleiro e da nova base de submarinos da MB.

    [​IMG]

    O plano geral de obras envolve a construção da infraestrutura e dos prédios e instalações dos equipamentos da Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (UFEM), e um conjunto de obras marítimas, além da infraestrutura e dos prédios e instalações dos equipamentos para o estaleiro e para a base naval.

    São duas principais frentes em andamento. Na Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas, estão sendo construídas a superestrutura das edificações (industrial e administrativa) e instalações. No Estaleiro e Base Naval, estão em andamento as obras de dragagem, de aterro hidráulico, de cravação de estacas metálicas, colocação de estruturas pré-moldadas de concreto armado sobre estacas, além de abertura de túnel em rocha.

    Segundo a Marinha Brasileira, as obras requerem tecnologias inovadoras aplicadas principalmente no dimensionamento da estrutura dos cais, destinados a servir os submarinos de propulsão nuclear considerando efeito de sismo; na utilização da técnica de densificação do aterro para evitar liquefação da areia durante a eventual ocorrência de sismo; no dimensionamento das docas secas considerando a classificação “estrutura nuclear”, e no armazenamento de material contaminado em “geotubes”.

    [​IMG]

    As dificuldades enfrentadas ficam por conta do sistema logístico para suprimento e execução da obra. Principalmente sobre o acesso provisório de pessoal e material pela área do Porto de Itaguaí. Atualmente,não é possível transitar com material e pessoal pelo Porto, pois isso prejudica os serviços normais do local. A solução foi construir um acesso provisório ao lado do Porto. Porém trata-se de uma estrada de barro e estreita, o que dificulta o transporte de maior quantidade de caminhões e o tráfego em dias de chuva. O transporte pelo mar de estacas metálicas e peças pré-moldadas de concreto armado entre o canteiro de fabricação e o canteiro das obras de mar é outro ponto crítico para as obras, assim como a necessidade de obtenção de mão de obra qualificada no mercado. Hoje, a frente mais avançada é a obra da UFEM .

    Segundo a área de comunicação da Marinha, os principais marcos da obra são: Prontificação das obras civis da UFEM, em 19 de novembro ; Prontificação das obras civis do Estaleiro Naval, em dezembro de 2014; e Prontificação das obras civis da Base Naval, em dezembro de 2017.

    Dentre os cuidados adotados na construção das áreas em que serão construídos os submarinos nucleares, destaca-se o apoio da infraestrutura em rocha e adoção de fator de segurança 1,5 para equilíbrio do empuxo de água nas docas. Todas as atividades são orientadas por um Plano Básico Ambiental elaborado e a obra está licenciada pelo IBAMA. Cita-se, por exemplo, a dragagem de material contaminado na área de abrangência da obra, cuja destinação foi o envelopamento em embalagens especiais - geotubes - instaladas em terra.

    http://www.grandesconstrucoes.com.br...Materia&id=741
     
    A GiulioRudolph le gustó este mensaje.
  9. eazb

    eazb Miembro de plata YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    10 Oct 2009
    Mensajes:
    4,517
    Likes:
    1,336
    Temas:
    6
    Detalhamento Diário das Despesas



    08/03/2012

    [​IMG]

    http://www.portaltransparencia.gov.b...012012NE000294


    [​IMG]

    http://www.portaltransparencia.gov.b...012012NE000337


    [​IMG]

    http://www.portaltransparencia.gov.b...012012NE000337


    [​IMG]

    http://www.portaltransparencia.gov.b...012012NE000330


    [​IMG]

    http://www.portaltransparencia.gov.b...012012NE000334


    [​IMG]

    http://www.portaltransparencia.gov.b...012012NE000336


    [​IMG]

    http://www.portaltransparencia.gov.b...012012NE000316


    [​IMG]

    http://www.portaltransparencia.gov.b...012012NE000317


    [​IMG]

    http://www.portaltransparencia.gov.b...012012NE000318


    [​IMG]

    http://www.portaltransparencia.gov.b...012012NE000290

    ----- mensaje añadido, 08-abr-2012 a las 11:07 -----

    Protótipo do submarino será construído em laboratório


    Conhecida como complexo do reator, instalação de pesquisa será formada por 11 prédios
    Lyne Santos
    6/3/2012

    [​IMG]
    Marinha já iniciou a construção de parte dos edifícios do Laboratório de Geração Núcleo-Elétrica, o Labgene


    Um modelo do primeiro submarino nuclear brasileiro será construído no Centro Experimental de Aramar (CEA), que integra o Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP). O protótipo funcionará no Laboratório de Geração Núcleo-Elétrica (Labgene), uma das áreas mais importantes no desenvolvimento da embarcação.

    O Labgene, também conhecido como “complexo do reator”, será formado por 11 prédios. O destaque fica para os edifícios do reator e das turbinas, que serão responsáveis por testar os circuitos primário e secundário do equipamento, respectivamente.

    O prédio das turbinas ainda está em fase de obras. O outro, do reator, aguarda a autorização ambiental para sua construção. A expectativa da Marinha é que a liberação venha ainda neste semestre. A demorase deve aos elementos radioativos que serão utilizados no prédio. Considerado de classificação nuclear, a instalação do reator precisa atender os mesmos requisitos de projeto e de licenciamento de uma usina termonuclear, como Angra 1 e 2, que funcionam em Angra dos Reis (RJ) e produzem energia para diferentes estados.

    “O (reator) que está sendo feito é capaz de gerar energia para uma cidade de 25 mil habitantes. Já uma usina gera para 250 mil pessoas. Esses prédios serão a simulação do submarino em terra. Eles servirão para testar variáveis do projeto e treinar a tripulação”, disse o capitão de corveta e engenheiro naval responsável pela implantação do Labgene, Danilo Grosso.

    Segundo o capitão de corveta, o prédio do reator precisa ter uma estrutura para resistir a terremotos, tornados e sismos (abalos). Devido a essas exigências, foi escolhido um local estratégico para a construção. A área selecionada fica sob leito rochoso, o que ajuda na estabilidade e na integridade do prédio. “(O leito de rocha) impede a passagem de vibrações. Mesmo em sondagens a 100 metros de profundidade foram encontradas rochas intactas”, destacou Grosso.

    O Laboratório de Testes de Equipamentos de Propulsão (Latep) é outra unidade construída em Aramar para avaliar os equipamentos, antes que sejam colocados em conjunto com o reator. No local, é verificado o funcionamento das turbinas e dos geradores, o denominado circuito secundário. Ao todo, o submarino vai contar com quatro turbogeradores, entre os de propulsão e os auxiliares.

    Além das turbinas do submarino nuclear, o Latep está testando turbinas que serão exportadas para a Colômbia. A princípio, elas seriam examinadas na Alemanha, porém os custos ficariam bem mais altos.


    COMBUSTÍVEL


    Em Aramar, acontece ainda a produção do combustível a ser utilizado no reator do submarino. O trabalho é feito na Usina de Produção de Hexafluoreto de Urânio (Usexa), elemento chavepara a fabricação do combustível.

    Na usina, ocorre a conversão do urânio em pó, o chamado yellow cake, no gás hexafluoreto de urânio. O procedimento é necessário para que fique mais fácil separar o Urânio 235, presente em baixa concentração no mineral e importante para a produção do combustível.

    “Atecnologia foi desenvolvida e projetada no Brasil, já que não adquirimos matéria prima no mercado internacional. Depois isso, poderá ser transferida para a sociedade civil, sendo utilizada pela Petrobras e na medicina, por exemplo”, explicou o engenheiro de Metalurgia Paulo Dias, responsável pela operação da Usexa.

    A usina de conversão da base militar atenderá apenas as demandas da Marinha relacionadas ao Programa de Desenvolvimento de Submarino com Propulsão Nuclear. O laboratório não prestará serviços a usinas nucleares, uma vez que trabalha com quantidades de urânio bem menores do que as necessárias para essas plantas (o volume de combustível necessário para a embarcação é bem inferior ao demandado por essas instalações de energia).

    Quando em plena operação, a unidade da Marinha no Interior de São Paulo poderá converter até 40 toneladas de yellow cake por ano. Para as usinas Angra 1, 2 e 3, seria necessário converter 500 toneladas anuais.


    No Brasil

    “A tecnologia foi desenvolvida e projetada no Brasil, já que não adquirimos matéria-prima no mercado internacional”

    Paulo Dias, responsável pela operação da Usina de Produção de Hexafluoreto de Urânio da CEA

    http://www.mar.mil.br/menu_v/sinopse/2007/sinopse.htm


    Quieres que yo siga? poste apenas algunos que provan que ya estan en andamiento, los submarinos y sus estruturas. No son mas proyectos, ya saliran del papel.
     
    Última edición: 8 Abr 2012
  10. Lothar

    Lothar Miembro de oro YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    24 Mar 2010
    Mensajes:
    8,584
    Likes:
    10,668
    Temas:
    61
    El submarino brasilero verá la luz en el mejor de los casos en el 2021 (otro de los grandes proyectos brasileros como la tercera versión del FX), para tal fecha la tecnologia AIP habrá evolucionado tanto que será más costo eficiente de operar y mantener que un submarino de propolsion nuclear como el proyectado sub brasilero pero este no tiene capacidad SLBM, para lo que cuesta este proyecto es un despilfarro de dinero.
    http://www.taringa.net/posts/notici...clear-brasileno-estara-operativo-en-2021.html
    En el programa que abrió el hilo se hace mención al Sao Paulo como una de las capacidades militares instaladas, pero no aclara que el Sao Paulo es un elefante blanco.
    Hay que hacer notar que Francia no transferirá tecnología de propulsión nuclear si antes no gana el Rafale el concurso del FX, eso a titulo personal, así como van las cosas en el ámbito económico (recortes) y con la corrupción endémica que hay en Brasil, nada se sabe.

    P.D. ninguno de tus link´s funciona
    P.D. ¿te quedo claro sobre los problemas económicos de Brasil?
     
    Última edición: 8 Abr 2012
  11. anonymous999

    anonymous999 Miembro de bronce YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    15 Feb 2011
    Mensajes:
    1,653
    Likes:
    1,002
    Temas:
    5
    Lo que más me llama la atención es el porcentaje de su PBI que asignan, a pesar de ser menor en porcentaje a los otros países es superior en cifras netas.
     
  12. El Carmelo

    El Carmelo Miembro diamante YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    14 Ene 2011
    Mensajes:
    11,622
    Likes:
    7,703
    Temas:
    334
    Hay que tener en cuenta los planes de EEUU al reactivat su Cuarta flota (C.F.) que anda surcando los mares frente a Venezuela y Brasil.
    Tambien es de considerar las mas 13 bases militares que tiene EEUU en esta parte del continente, rodeando a la vecina Venezuela y al mismo Brasil . Hace menos de una semana salio noticias de que EEUU traslado a buena parte de su personal con experiencia en combates de sus bases de Irak y Pakistan...hacia sus bases que tienen en Colombia...

    No es casual que, durante el gobierno de Lula, el dia que el Congreso Brasileño aprobo una ley que declara que los gigantescos yacimientos del PRE-SAL (+80 mil millones de barriles de petroleo) iban a ser explotados exclusivamente por el estado brasileño, la Cuarta flota se paseara fente a los yacimnientos y el jefe maximo del comando sur declarara que la C.F. tambien tenia navios inclusive para penetrar en aguas "marrones" ( o sea los rios de sudamerica) buscando y persiguiendo terroristas y/o narcotraficantes (sic...).

    Tambien es preocupante (y pienso lo mismo diran circulos intelectuales/militares brasileños) sobre la puesta en debate de la Internacionalizacion de la Amazonia y eso es parte no solo de Brasil sino de Peru, Colombia, Venezuela, etc...
     
    Última edición: 8 Abr 2012
    A GiulioRudolph le gustó este mensaje.
  13. herco

    herco Miembro de oro YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    25 Set 2011
    Mensajes:
    5,747
    Likes:
    3,477
    Temas:
    154
    "...tenia navios inclusive para penetrar en aguas "marrones" ( o sea los rios de sudamerica)..."

    Y lo jodido de esa afirmación es que en América Latina, solamente hay tres ríos que pueden permitir el ingreso por su calado, de los barcos de la IV Flota, el Orinoco, el Amazonas y el Paraná-De la Plata. Por lo que tenés que agrandar la lista de posibles afectados: Venezuela, Brasil, Perú, Colombia, Uruguay, Argentina, Paraguay.

    Y cuando se puso de nuevo en funcionamiento esa IV Flota, dijeron que estaba dirigida más a "aguas marrones" que a las aguas verdes o azules del mar.
     
    Última edición: 8 Abr 2012
    A GiulioRudolph y El Carmelo les gustó este mensaje.
  14. El Carmelo

    El Carmelo Miembro diamante YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    14 Ene 2011
    Mensajes:
    11,622
    Likes:
    7,703
    Temas:
    334
    Si, estimado...es el acceso a los grandes recursos naturales (gas. petroleo, agua...) y a la biodiversidad...

    Brasil como se dice por aqui "se puso mosca" . Con solo darle una mirada a lo que esta ocurriendo en el mundo (invasiones de Irak, Afganistan, Libia, presiones/ sanciones a Siria, Iran, Venezuela) tiene porque preocuparse
    .
    La presidenta de Brasil Sra. D. Rouseff, en su reciente visita a Alemania le dijo a la Merkel y frente a los periodistas, que Brasil no permitira "canibalizar" a los paises de Sudamerica.
     
    A GiulioRudolph le gustó este mensaje.
  15. TorredeMarfil

    TorredeMarfil Suspendido

    Registro:
    15 Dic 2011
    Mensajes:
    2,124
    Likes:
    1,037
    Temas:
    2
    por que no veo a Peru en ese cuadro.....:plop:
     
  16. herco

    herco Miembro de oro YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    25 Set 2011
    Mensajes:
    5,747
    Likes:
    3,477
    Temas:
    154
    "..."canibalizar" a los paises de Sudamerica..."

    Eso es lo importante, no "canibalizarse" voluntaria y recíprocamente entre propios sudamericanos, porque les estamos haciendo el juego a los que lo pretenden y se esfuerzan en lograrlo desde afuera de la región.

    No detenerse en el árbol, tratar de mirar el bosque.
     
    A El Carmelo le gustó este mensaje.
  17. Vasco88

    Vasco88 Suspendido

    Registro:
    23 Feb 2011
    Mensajes:
    1,443
    Likes:
    639
    Temas:
    7
    Exacto Brasil como un enorme país industrializado necesitara cada vez mas recursos, quizás se arma para proteger ''sus intereses'' mientras los mas ingenuos lo ven como algo positivo.
     
  18. eazb

    eazb Miembro de plata YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    10 Oct 2009
    Mensajes:
    4,517
    Likes:
    1,336
    Temas:
    6
    Lo submarino nuclear brasilero esta programado para 2022, no depiende del programa fx2. Son programas separados. El submarino brasilero no es un SLBN ni SSBN y si un SSN. Tendra capacidad de lanzar torpedos y missiles anti-navio. Veo que tu no sabes la diferencia entre un y otro. Sobre los costos es nuestro problema no tuyo.

    Y no hay que notar nada. EL CONTRATO YA FUE ASINADO, Y FRANCIA TRANSFERIRA TECNOLOGIA DEL "CASCO" PORQUE EL REATOR NUCLEAR ES BRASILERO Y NO FRANCES. Y MAS UNA VEZ, NO TIENE NADA QUE VER EL PROGRAMA FX2 CON EL DE SUBMARINO, QUE YA ESTA ASINADO. ENTENDES? PORTANTO NO MINTAS O NO INVENTES COSAS. LA VERBA PARA EL PROGRAMA YA ESTA ASEGURADA PORQUE LO CONTRATO YA ESTA ASINADO. LOS CORTES NO LO ATINGEN. QUIERES QUE YO TE REPITA CUANTAS VECES? O ME VAS A SEGUIR TEIMANDO?

    ----- mensaje añadido, 08-abr-2012 a las 15:17 -----

    Internacionalizacion del amazonas? esta es la cosa mas ridicula que yo ouvi. No hay la menor hipotese de que eso aconteça. Por lo menos en la parte brasilera. Aqui mandamos nosotros y mas ninguem.
     
    A El Carmelo le gustó este mensaje.
  19. Lothar

    Lothar Miembro de oro YoMeQuedoEnCasa

    Registro:
    24 Mar 2010
    Mensajes:
    8,584
    Likes:
    10,668
    Temas:
    61



    Definitivamente tienes problemas con el idioma, claramente he dicho que es un despilfarro de dinero, por que:
    Por que al no ser un SLBM sus capacidades son similares a las de un sub convencional (se entiende q es un SSN) que también hoy por hoy tiene la capacidad de usar misiles antinavios y torpedos pesados usando el mismo tubo de torpedo de 533mm es más la tecnología AIP para la fecha que botaran el submarino brasilero esto es 2021 (en el mejor de los casos) hará que esta sea más costo/eficiente su operación y mantenimiento. ¿cuál es el beneficio de construir un sub de propulsión nuclear si por menos de eso tienes un sub convencional con capacidad AIP que hace lo mismo?. Ahora entiendes el planteamiento o te es muy difícil.

    Deja de decir que miento no seas tontaino, a titulo personal lo dije claramente (mi análisis), según esta nota: http://www.jornada.unam.mx/2008/12/24/index.php?section=mundo&article=024n1mun
    Es un acuerdo de cooperación en defensa no un contrato (sabe cual es la diferencia) esto que implica desde mi punto de vista que Francia no va a transferir tecnología para el desarrollo del sub nuclear si antes no le firman el contrato del FX, por que el acuerdo es globlal, entiendes o te explico como a niño, lo que se esta construyendo son los scorpene de manera similar al acuerdo que obtuvo la India.
    Esto es mi ANALISIS

    no se como se dice "eres un huaman" en portugues

    y vuelvo a preguntar por que no has respondido, ¿tiene Brasil la capacidad económica de financiar, todos estos proyecto? PARA MI, NO.
     
    Última edición: 8 Abr 2012
  20. Nightm@re

    Nightm@re Suspendido

    Registro:
    20 Ago 2010
    Mensajes:
    3,757
    Likes:
    2,574
    Temas:
    15
    ese es el unico pais latinoamericano que tiene portaaviones y tiene aviones para llenarlo XD